Como e por que evitar a gordura trans?

Notícias

Como e por que evitar a gordura trans?

Prejudicial à saúde, a gordura trans está com os dias contados

Quando o assunto é a ingestão de gordura, surge sempre o questionamento: gordura boa ou gordura ruim?

Na linguagem popular, convencionou-se chamar de “gordura boa” a gordura insaturada, presente em alimentos como, azeite, abacate, nozes, amêndoas, salmão, entre outros. Quando consumidas na medida certa, esse tipo de gordura ajuda a reduzir os níveis de colesterol ruim e de doenças cardiovasculares.

A chamada “gordura ruim” é a gordura saturada, encontrada principalmente em alimentos de origem animal, como banha de porco, bacon, leites e queijos. Consumida em excesso, essa gordura pode entupir artérias, aumentando a chance de ataque cardíaco ou derrame.

No entanto, de alguns anos para cá, muito se fala de uma outra gordura, considerada a verdadeira vilã da saúde: a gordura trans.

O que é a gordura trans?

É um tipo de gordura que pode estar presente naturalmente em alimentos de origem animal, geralmente em quantidades muito pequenas, ou pode ser produzida industrialmente em processos químicos, o que é mais frequente.

A maior parte da gordura trans que consumimos é proveniente dos processos industriais.

Nestes processos, por meio da hidrogenação, a gordura vegetal líquida (óleo) é transformada em sólida para conferir mais crocância, sabor e durabilidade ao produto.

Alguns exemplos de alimentos que levam esta gordura na sua composição são: sorvetes, salgadinhos, biscoitos recheados, pipoca de micro-ondas, pastéis, bolos, pães, cremes vegetais e massas instantâneas.

Por que evitar o consumo de gordura trans?

  • Não traz nenhum benefício para o nosso organismo;
  • Aumenta os níveis do mau colesterol (LDL);
  • Reduz os níveis do bom colesterol bom (HDL);
  • Aumenta o risco de desenvolver doenças cardiovasculares;
  • Provoca o acúmulo de gordura na região abdominal e obesidade.

Mudanças na legislação

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou a eliminação do uso de gorduras trans nos alimentos industrializados no Brasil a partir de 2023.

Com essa restrição, o Brasil se junta a outros três países das Américas que já tomaram a mesma iniciativa: Canadá, Chile e Estados Unidos.

A multinacional Cargill anunciou que irá remover toda a gordura trans do seu portfólio de óleos comestíveis até o final de 2023. Com isso, será a primeira fornecedora global a cumprir com os padrões recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

O consumo aceitável desta gordura é de no máximo 2 gramas por dia, para uma dieta de 2000 kcal.

Dica

Leia sempre o rótulo dos alimentos!

Desde 2006 a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) obriga todos os fabricantes a indicar no rótulo a quantidade de gordura trans presente nos alimentos.

Fontes:

https://mercadoeconsumo.com.br/2021/12/06/cargill-pretende-remover-toda-gordura-trans-produzida-de-oleos-comestiveis/

https://idec.org.br/gordura-trans

https://saude.abril.com.br/alimentacao/o-que-e-gordura-trans-e-por-que-voce-deve-evita-la/

https://www.tuasaude.com/alimentos-ricos-em-gordura/

https://www.tuasaude.com/gordura-trans/

https://clinicacardiocare.com.br/o-perigo-das-gorduras-trans/

Veja mais

Fundação Cargill abre inscrições para apoiar projetos de desenvolvimento institucional no Centro-Oeste
Fundação Cargill abre inscrições para apoiar projetos de desenvolvimento inst...
Edital Regional – Nutrindo Soluções Locais – 4<sup>a</sup> Edição
Edital Regional - Nutrindo Soluções Locais - 4a Edição
Fundação Cargill oferece aporte de até R$ 150 mil para seleção de 15 iniciativas socioambientais
Fundação Cargill oferece aporte de até R$ 150 mil para seleção de 15 iniciati...
Chamada Semeia Fundação Cargill 2024
Chamada Semeia Fundação Cargill 2024